1. Oct
  2. 1983

Goiânia, 50 anos de encantamento

Na Revista Goiás Industrial de Outubro de 1983, comemorava-se os 50 anos do lançamento da Pedra Fundamental de Goiânia, confira a reportagem.

História de Goiás

Aspectos históricos.
As transformações políticas geradas em Goiás pela Revolução Liberal de 1930 intensificaram a ideia da necessidade de mudar a capital do Estado para uma região acessível e adequada. Formou-se, desde então, uma opinião de que o subdesenvolvimento de Goiás, devido a várias razões, também é consequência do Estado possuir como Capital uma cidade isolada, quase escondida para o mundo e inerte e presa entre rocha. Diversos governadores haviam se manifestados a favor da mudança. Também o fez o interventor Pedro Ludovico Teixeira, de modo mais lúcido e com uma visão bastante consciente da situação.

Assim, em 30 de setembro de 1932, Pedro Ludovico expôs com clareza seu plano de mudança da Capital ao ministro Osvaldo Aranha, através de uma carta (para ler clique aquina qual dá vários motivos, inclusive o “clima tórrido, cálido, enervante” da Capital. E como estivesse desabafando, assinala Pedro Ludovico: “Sem despertar interesses, pela sua má localização, ninguém a procura. Assim tem vivido de 50 anos a esta parte, pois a população tem sido sempre a mesma”. São palavras que revelam a firme vontade de transferir a Capital para outro lugar. Essa é a parte histórica e está sendo publicada pela primeira vez nesta revista, nas páginas 7/8. De acordo com professor Venerando de Freitas – primeiro prefeito de Goiânia e a maior autoridade para falar do nascimento e crescimento da Capital nesses cinquenta anos de sua existência – a Carta a Osvaldo Aranha expressava pela primeira vez (além de um suposto telegrama mencionado na carta, datado de quatro dias antes, ou 26/9/32), de modo claro e consciente, a ideia e desejo de Pedro Ludovico em construir uma nova Capital. Além dessa histórica carta, o próprio artigo publicado pelo Professor Venerando, nesta revista, constitui importante documento e depoimento sobre a história de Goiânia.

Após refletir longamente sobre o atraso de Goiás e sua vinculação com a localidade da Capital, Pedro Ludovico decidiu transferi-la. O primeiro decreto neste sentido foi assinado no dia 20 de dezembro de 1932 (decreto 2.737), nomeando uma comissão para escolher o local mais apropriado para a nova Capital. O presidente da comissão Dom Emanuel Gomes de Oliveira, bispo de Goiás. Em março de 1933, a comissão revelou a escolha: a região de Campinas. O urbanista Armando Augusto Godói, depois de examinar relatórios da comissão e os problemas debatidos, defendeu, em documento de 24 de abril de 1933, a criação da nova capital e combateu as pessoas contrárias à mudança.

(...)

Pedro Ludovico decidiu, com apoio nesses documentos, que a Capital seria construída na região de Campinas, mesmo contrariando muita gente. Assim no dia 18 de maio de 1933 baixou o decreto n. 3.359, determinando que a região às margens do córrego Botafogo, compreendida pelas fazendas denominadas “Criméia”, “Vaca Brava” e “Botafogo”, no município de Campinas, fosse escolhida pata nela ser edificada a nova Capital do Estado. Entre outras medidas, enumerava o ato que a transferência se operasse no prazo máximo de dois anos.

Pedra Fundamental
No mesmo mês de maio de 1933 começaram os trabalhos de preparação do terreno e da festa de lançamento da pedra fundamental. Cinco meses depois, em outubro, ficaram concluídos os trabalhos. E no dia 24 realizou-se a solenidade de lançamento, com grande festividade, no local onde hoje está o Palácio do Governo. (...)

No mesmo mês, o jornal “O Social” promoveu um concurso para escolher o nome da nova capital. O professor Alfredo de Faria Castro, sugeriu o nome de Goiânia. Dái por diante ocorreu uma série de atos e datas que foram dando crescente vida à Capital. Daí por diante ocorreu uma série de atos e datas que foram dando crescente vida à Capital. Assim:

- Agosto de 1935 (decreto 327, do dia 2): organização do município, quando recebeu o nome oficial de Goiânia;
- Novembro de 1935 (dia 20): instalação do município;
- Dezembro de 1935 (dia 13): assinatura do decreto 560, determinado a transferência para Goiânia da Secretaria Geral, Secretaria do Governo e Casa Militar, dando início à mudança administrativa e a um novo destino para Goiás;
- Outubro de 1936 (dia 15): eleições para prefeito de Goiânia, com a escolha do professor Venerando de Freitas Borges;
- Março de 1937 (dia 23): assinatura do decreto 1816, transferindo definitivamente a Capital da Cidade de Vila Boa de Goiás para Goiânia;
- em 1948: Empresa de Força e Luz de Goiânia Ltda., do coronel Filismino Vianna;
- Agosto de 1940 (dia 6 e 7): Visita do presidente da República, Getúlio Vargas, a Goiânia;
- Setembro de 1941 (dia 14): lançamento da pedra fundamental do poço de tratamento da Rede de Esgotos de Goiânia;
- Julho de 1941 (dia 5): batismo cultural de Goiânia, com solenidade realizada no Teatro Goiânia;  presença de várias comitivas e autoridades de outros Estados.

Referência: 
Figueireido, Luis Carlos B. de. Goiânia, 50 anos de encantamento. Revista Goiás Industrial, Goiânia, Ascom, Set/Out, 1983.

  • Capa revista Set/Out, 1983
  • Revista Set/Out, 1983

Carta escrita por Pedro Ludovico ao Ministro Osvaldo Aranha.

Deixe seu comentário

Para comentar, você deve realizar o login. Clique aqui.